sábado, 5 de abril de 2008

Vai começar a diversão!


Queridos, voltei!

Minha vida cigana me trouxe de volta pro ninho. Foi uma despedida estranha. Só o mar e eu...

Não havia ninguém no aeroporto, não teve festa de despedida, não houveram telefonemas. Só eu e o mar...

Fui vê-lo, porque o céu me dizia que ele estava triste, cinzento, revolto. O céu chorou me contando isso. Chorou muito! E eu também...

Não havia do que, ou de quem me despedir, a não ser o mar, e mesmo assim eu chorei na despedida. Talvez esse choro se deva ao fato de que o mar é mesmo maior que tudo isso. Só ele e eu entendemos isso.

E foi assim: pisei na areia, suas ondas tentando me alcançar. Estava calçada, mas não resisti. Despi os pés e deixei que ele me acarinhasse pra dizer adeus. Foi insuportável vê-lo tão cinzento depois de tantas vezes admirar a infinitude do seu azul.

Tive vontade de mergulhar, ficar imersa nas suas cores, no seu sal, me misturar a ele, virar mar também. Tive vontade de ficar lá, até perder a hora, até perder as idéias, até perder a noção do tempo. Só o mar me tirava de mim naquele lugar.

Mas deixei que ele me afagasse os pés com sua espuma, se agitasse com meu afastamento, como tentando me alcançar, e fui.

Estou aqui, longe do mar, perto de tudo o que eu quero, feliz. Sem festa de chegada, sem recepção no aeroporto, com as caixas bagunçadas e - conseqüentemente - parte da vida também. Mas estou de volta à vida real.

E ela sim, é maior que tudo isso!

2 comentários:

GPS disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the GPS, I hope you enjoy. The address is http://gps-brasil.blogspot.com. A hug.

Vivi disse...

Amida Mi,
É interessante como algumas coisas nos servem mesmo de apoio ou companhia em situações adversas. O mar pra você, o rio pra mim... Estou tentando encontrar o que seria meu apoio aqui em MOC. Aqui não há mar nem rio, nem lagoa... ou se tem ainda não fomos apresentadas.
Que bom que agora você terá por perto pessoas amadas como apoio nas mais diversas situações! Só não vale se esquecer do mar, ele que sofreu tanto com sua partida!
Linda descrição, aliás...
A gente tá aprendendo a lidar com as despedidas, né?
Um beijo com muitas saudades!
Seja "bem ida" aí na terra quente!